quinta-feira, 10 de março de 2011

SubLoco e o Fator Acochativo - a estréia


Como vão todos?

No último dia 01 de março fizemos a estréia do projeto SubLoco e o Fator Acochativo, que reúne além de nós, Aeromoçcas e Tenistas Russas, Yougman e o coletivo de rimas Sub Loco Coletividade, reunião de grupos de rap aqui de SancaVice.
A estréia foi no Festival Arte Pra Bixo, realizado pela Rádio UFSCar e pelo DCE. A edição desse ano - a segunda - contou com um line up de peso: Jude Arplaine, Cia. da Barganha, Sandália de Prata, Mamma Cadela e Macaco Bong.
A chuva que caia desde o dia anteror e que se estendeu por uma semana deu uma trégua e não atarapalhou o Festival, fazendo a galera balançar.


Sobre nós (SL e FA), acredito que há tempos não sentiamos tanto nervoso antes de uma apresentação. Um friozinho na barriga massa, de esperança de estar iniciando um projeto importantíssimo e que pode refletir muito pra além dos grupos que estão envolvidos. Acredito que essa seja nossa intenção. No fundo, todos ali devem perceber a importância musical e para além da música que existe nessa vivência. É oportunidade clara de dois mundos aparentemente distintos, com realidades peculiares, convergirem, se encontrarem, dialogar e se fortalecer em todo caminhada. Encontrar idéias e expressões que una essa tênue diferença.

Fator Acochativo em campo. Mandamos dois sons que já tinham rolado na estréia do Fator em setembro passado: Suco de Tangerina dos rapeiros instrumentais do Beastie Boys seguida de uma composição nossa: Ode ao Viajante, reaaranjadas pelas mentes dos acochados. Depois das duas só pra fazer preliminar, entraram na cancha os Sublocos: Lincoln, Miguel e Ringo. Aí a chapa esquentou! Como foi o primeiro show, fizemos um set curto, somente uma prévia do que está por vir. Começamos com a faixa Somos o que Somos, em cima de de uma base da banda jamaicana Skatalites, depois O que eu Penso chamada pelo Miguel que virou um samba com lebvadas funk e rimas pesadas. Uma homenagem era a próxima, Rua 14, letra em que o Lincoln homenageia seus anos passados no skate com a família Botafogo Skate Family (BSF) . A base foi a música Solarística, composição do ATR que casou muito bem com a rima. Pra terminar, som inédito, denominada O que que rola, rima do Ringo que fala sobre a história de muitas crianças no Brasil: o sonho de ser jogador de futebol. Letra massa demais também. Pra acompanharmos a história, fizemos o instrumental em cima de uma cumbia-ragga. Ficou chique. Rap com Cumbia? O que que rola.....

Ficou um gostinho de quero mais. A parada agora é se enfurnar no estúdio e amadurecer idéias, vivência, etc. No dia 19 de março, um sábado temos mais uma apresentação do projeto. Dessa vez na Babilônia, Sampa. Colaremos no Jardim Maria Sampaio, no Campo Limpo. A apresentação será na Terceira Feira SócioCultural Maria Sampaio, realização da Casa da Mulher e da Criança e Banco Comunitário União Sampaio. Em breve tem mais infos sobre.

video
Vamo que vamo!
Vida longa ao SubLoco e o Fator Acochativo!!

Hasta luego!

Eduardo
MO!

sábado, 5 de março de 2011

Franca, Bauru e Araras - A semana interminável

Com notícias atrasadas em relação ao tempo em que ocorrerram vamos aproveitar o Carnaval pra colocar o papo em dia.
No dia 20 de fevereiro pegamos a estrada para dois shows: Franca no dia 21 e Bauru no dia 22. Fomos dia 20 pra aproveitar um dia no rancho da família do Bruno que fica na cidade mineira de Cássia. Muito sol, represa, barcos, conversas, cachaças...a vibe da parada e da nossa convivência tava muito massa.


Deixa armada pro evento foda qur rolava no dia seguinte, organizado pelo DCE da UNESP em Franca e pelo coletivo Guerrilha Gig. Era a primeira vez que algo fora do fétido cotidiano acadêmico acontecia no Campus novo da UNESP. Pro fim de tarde (primeiro do ano letivo) fomos convidados pra fazer uma zuada e ajudar a sacudir o morto Campus novo. Pra abrir, a banda local-instrumenatal Atmosfera Lunar. Com um instrumental pesado os caras mandaram muito bem, deixando a cama feita pra gente. Shows fodas! A energia do local tava muito massa. Estudantes, funcionários, família, curiosos e nós tentando acalentar, divertir e se divertir.


Na terça, a viagem era um pouco cansativa rumo a Bauru, mas depois de 2 dias tão fimeza algo poderia dar errado? Deu! Antes de tocarmos na "Welcome the Jungle", festa tradicional da UNESP-Bauru, o carro em que estavámos foi guinchado. A festa tava muito grande e de algum modo a polícia tinha que mostrar serviço. Fomos os laranjas da fita. Enfim...bola pra frente porque ainda tocaríamos. Antes de nós tocaram: Homem Bomba com um samba rock pesado e The Rave Black Tie. Chegou nossa vez! Pelo menos extravasar a zica do carro. Passamos o som e...não rolou. Depois de uma confusão até agora inexplicável, a polícia entrou na festa e a festa findou-se. Montamos, passamos o som e não tocamos. Sem carro e sem tocar. Mas mesmo quando tudo da errado, as coisas salvam-se. Fomos acolhidos pela galera da banda Pé de Macaco. Integrantes do Enxame Coletivo (um salve a todos!) nos deram abrigo ate na sexta (25.02) quando conseguimos tirar o carro. Brisa, Saguí e Beiçola (ou Eduardo), mais diversos manos (Nardi, Grilo...) do Enxame salvaram o role na cidade. Em meio ao período que precisamos ficar lá trocamos muitas idéias, pois os caras tinham acababo de sair do curso de áudio do IAV em Sampa. Ótimo pra mim e pro Yraê que ficamos lá. Como já comentamos aqui, estamos em início de processo de gravação do nosso álbum. Aprendemos e trocamos muito nos 3 dias que ficamos por lá.


Perdemos uma data na sexta em Rio Claro por causa do CIRETRAN mas saímos de Bauru. No sábado tinhamos data em Araras (segunda vez em minha cidade natal). Dessa vez no Centro Cultural, antiga estação ferroviária. O evento foi organizado pela Secretaria de Cultura da Cidade. O teatro de Centro Cultural tinha uma acústica sensacional. Filmamos a apresentação toda com 3 cameras. Logo mais lançamos esse material no mundo virtual.


O show foi muito massa e veio a calhar. Nossas apresentações agora tendem a diminuiir. Só faremos algumas pontuais. Entraremos de cabeça em estúdio para produção de nosso primeiro ábum, com material dos quase 5 anos de banda. A intenção é lançar o álbum no segundo semestre.
Além do álbum o foco está nos projetos que nos envolvem: O Fator Acochativo, juntamente com Aeromoças e Tenistas Russas e o recém estreiado (logo tem post sobre) SubLoco e o Fator Acochativo (que além do ATR) tem o peso foda das rimas do Sub Loco Coletividade. Outros projetos também burbulham de nossas mentes.


Avante!

Abraço

Eduardo
MO!